:... silhuetas ...:

segunda-feira, agosto 25, 2003
 
Rolling Stones vs Manuela Ferreira Leite
Já desde o início da passada semana que me chegou aos ouvidos esta possibilidade dos Rolling Stones virem a Portugal no próximo dia 20 de Setembro.
Embora incrédulo com os contornos da vinda da banda de Mick Jagger (aos quais já lá vamos), lá me fui habituando à ideia depois de ver a notícia na primeira página do Público no passado sábado.
Incrédulo, porquê?
Embora o jornal Público diga, na notícia que publicou sobre este assunto, que a vinda dos Rolling Stones seria da responsabilidade da Ritmos & Blues (empresa habitualmente promotora do cartaz do Festival do Ermal), aquilo que soube na altura (na semana passada) foi que a vinda dos Stones a Portugal serviria para inaugurar o novo estádio municipal de Coimbra e os respectivos encargos financeiros desta operação ficariam a cargo da própria Câmara Municipal!
Se consultarmos a edição online do jornal "As Beiras" podemos ler na sua edição de 21 de Agosto, que esta festa custaria quase dois milhões de euros, um valor que "(...) está a dar fortes dores de cabeça aos responsáveis autárquicos".

Para que não restem dúvidas, aqui fica a transcrição da notícia daquele diário regional:

"
20-08-2003
Paulo Marques

Rolling Stones a 20 de Setembro
Concerto de inauguração do novo estádio


A inauguração do novo estádio municipal de Coimbra vai acontecer a 20 de Setembro, um sábado. O concerto com os Rolling Stones vai assinalar a data e a Câmara está a fazer um enorme esforço para garantir a solução financeira para minimizar o impacte dos elevados custos.
Está, praticamente, tudo decidido. A festa de inauguração pode, até, ser apresentada, publica e oficialmente, hoje mesmo. Os Rolling Stones vão estar em Coimbra a 20 de Setembro para um concerto único, em Portugal, no encerramento da digressão europeia que têm em curso.
Quase dois milhões de euros é quanto vai custar a festa. Um valor global cuja cobertura está a dar fortes dores de cabeça aos responsáveis autárquicos. É que, mesmo com patrocínios de vulto – o maior de todos, oriundo de uma grande empresa da área petrolífera, deverá rondar os 250 mil euros – e a previsão de uma grande bilheteira, o risco é considerável e, sobretudo, as necessidades imediatas são vultuosas.
Neste contexto, há na autarquia coimbrã grande expectativa para saber como vai o dinheiro ser conseguido, sabendo-se que a capacidade de endividamento – leia-se a hipótese de recorrer a empréstimos bancários – deverá estar esgotada.
Seja como for, o escasso mês que falta para o grande dia não dá, a quem negoceia do lado de Coimbra, grande margem de manobra. Refira-se que a digressão europeia da banda britânica – designada de "Forty Licks", que é o título do 'best of' recentemente editado – tem vindo a registar uma inesperada dinâmica... de que Coimbra pode vir a beneficiar. De facto, o concerto de ontem, marcado para Amesterdão, foi adiado, tal como o fora o de 5 de Agosto, agendado para a estância turística de Benidorm.
Ora, de acordo com uma informação veiculada pelo próprio sítio oficial dos Stones – http://www.rollingstones.com –, o concerto de Benidorm vai, afinal, realizar-se a 18 de Setembro, "prolongando" assim a digressão, que inicialmente estava prevista concluir-se a 15 de Setembro, em Londres. Desta forma, os cerca de 1.000 quilómetros que ligam a cidade levantina a Coimbra rapidamente serão percorridos pelos mais de 20 camiões TIR, que transportam o material da banda.

"

Não estamos com o país a atravessar uma enorme crise financeira?
Não estamos em tempo de economizar custos?
As Câmaras Municipais têm ou não têm sinal vermelho por parte do Governo em relação ao seu endividamento?
Como é que tudo isto é compatível com um evento que tem um custo de quase dois milhões de euros?
Obviamente, as perguntas acima só fazem sentido se a notícia do "As Beiras" estiver correcta.

Afinal quem paga a vinda dos Rolling Stones a Portugal?
Façam as vossas apostas...