:... silhuetas ...:

segunda-feira, outubro 13, 2003
 
Será que somos a versão social do Princípio da incerteza de Heisenberg?

Esta pergunta é obviamente uma redução ao absurdo do contributo que aquele físico trouxe à mecânica quântica!
Ocorre-me pelo tempo desnorteado em que vivemos num país tão pequeno. Se nos distanciarmos da afirmação e do comentário imediato, bem como da imagem supersónica que a televisão produz descontroladamente, constatamos que estamos a empobrecer desmesuradamente. Verificamos que já não é a velha dialéctica do bem e mal que perdura na nossa memória, mas sim a caótica incerteza à volta da mentira. Tudo é possível ser dito porque todos os argumentos retóricos são expelidos. Como alguém disse há dias trata-se do assassínio da verdade. A mentira, seguindo outras modas está a ocupar a rua e a massificar-se (que termo tão imperial!?).
E porquê que isto tem que ser assim?
A única razão que percebo válida para esta assimetria a favor do lado errado das coisas é a anomalia educacional que não permite actualizar e compreender os princípios que nos levam à compreensão da verdade. Talvez a feitoria que defende o protectorado da mentira ainda esteja bem apetrechada!