:... silhuetas ...:

segunda-feira, novembro 10, 2003
 
(...)
Quando Cunhal fala, o partido perde contacto com o mundo. O mundo passa a ser Cunhal. Cunhal escreve no texto que os Estados Unidos são o motor do terrorismo mundial. Também escreve que só os países comunistas (Cuba, Coreia do Norte e outras poucas excrescências) é que podem resistir ao terrorismo americano. A conversa do terrorismo americano é conhecida. Para quê responder? O elogio à Coreia do Norte e a países amigos é mais grave. Cunhal vê na Coreia um exemplo. No Laos um exemplo. Em Cuba um exemplo. Passa por cima do terror e morticínio que são estes países. Sabem que mais? Se eu fosse comunista, a primeira coisa que faria é rasgar o cartão e insultar todos os canalhas que proferem e aceitam estas declarações. Que elogiam regimes criminosos. Que não têm olhos para o óbvio. Para o insofismável. Antes da política, antes da fé, antes de tudo, há uma coisa maior. Dignidade.
Pedro Lomba